EDITORIAL: CRATO completa 255 anos, mas uma verdade precisa ser dita

Por Lucion Oliveira


O município do Crato faz hoje 255 anos de emancipação política. Aos filhos de nascimento e de coração desta querida cidade os nossos parabéns neste dia. Quem é do Cariri e do Ceará sabe a história deste município pioneiro em diversas áreas, berço de movimentos políticos com repercussão nacional.
Hoje o Crato vive um momento de estagnação não somente na economia, mas do ponto de vista administrativo consequência de sucessivas gestões que não deram a atenção necessária ao seu povo, deixando de atacar os problemas comuns a municípios de médio porte.
O que se questiona hoje no Cratinho de Acúcar é a inercia governamental que tem deixado projetos e obras parados sem a mínima justificativa, deficiência nas áreas de saúde, educação, infra-estrutura, entre outros.  Basta olhar o calendário de festividades do município em que os benefícios entregues são diminutos ou praticamente inexistentes. Bem diferente de outras épocas.
Denominar a semana do município de Crato Fest denota a estagnação político-administrativa. Uma reprise do que se verificava na Roma antiga – pane e circus – a política criada como uma medida de manipulação de massas, na qual os aristocratas incentivavam a plebe de certa forma ficar desinteressada em política e dar atenção somente para prazeres como a comida, através do pão, e o divertimento, retratado pelo circo.
O cratense, entretanto, é um povo dotado de inteligência, questionador, que não se deixar levar com tais atitudes. Ele se diverte, comemora a data, mas passada a efeméride retoma os debates em torno dos problemas da cidade.  
Parabéns, Crato. Que os próximos debates políticos sejam frutíferos para que num futuro não muito distante teus filhos possam viver com melhor qualidade.
EDITORIAL: CRATO completa 255 anos, mas uma verdade precisa ser dita EDITORIAL: CRATO completa 255 anos, mas uma verdade precisa ser dita Reviewed by Folha Cratense on junho 21, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.