segunda-feira, 20 de agosto de 2018

JUAZEIRO DO NORTE: Prefeitura inicia cadastramento e recadastramento imobiliário no município

Na tarde dessa sexta-feira, 17, a Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Administração e Finanças (Seafin), lançou o Projeto “cadastramento e recadastramento imobiliário” deste Município. O Projeto, que terá início nesta segunda-feira, 20, acontece em parceria com a Faculdade Paraiso do Ceará (FAP) e outras instituições públicas.

Estiveram presentes o Secretário de Administração e Finanças, Evaldo Soares, o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Michel Araújo, a Secretária de Segurança Pública, Ivoneide Brito, o Secretário de Agricultura e Abastecimento, Romão França, o Procurador Geral do Município, Micael François, o Secretário de Turismo e Romaria, Junior Feitosa, o Coordenador do Projeto e Diretor de Arrecadação da Seafin, Edivânio Monteiro, servidores, estudantes e representantes do poder legislativo.

O objetivo é atualizar as informações dos imóveis situados na base territorial do Município. Os dados obtidos permitirão a construção de políticas públicas adequadas ao desenvolvimento urbano, bem como a aplicação de uma tributação mais justa. Durante o período de realização, os agentes que visitarão os imóveis estarão uniformizados e identificados com crachá.

A estudante Tahis Cristina, do 6° período de Engenharia Civil da FAP, irá participar do cadastramento e recadastramento imobiliário. “Nós passamos por um processo de capacitação e a gente vai estar fazendo o cadastramento e recadastramento de imóveis para que possa auxiliar no melhor desenvolvimento de Juazeiro do Norte”, disse.

O Secretário Evaldo disse que quer corrigir as distorções existentes. “Queremos deixar a situação do contribuinte legalizada, onde o cadastro dele esteja atualizado com esses dados minuciosos. Onde também a gente possa corrigir alguma injustiça social nas cobranças desses impostos”, disse.

Números

Juazeiro do Norte tem hoje 135.197 imóveis cadastrados, entre terrenos com e sem edificações. Isso está gerando um IPTU no valor de R$ 28,8 milhões. Mas, esses valores, segundo o Secretário da Seafin, Evaldo Soares, estão muito aquém da realidade, como também o número de imóveis. Pelas estimativas, deve-se ter em torno de 175 mil imóveis urbanos com e sem edificações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário