sábado, 7 de maio de 2016

Crato: REFFSA e os relapsos de um abandono

“O edifício da estação ferroviária do Crato foi inaugurado em 1926. A chegada do primeiro trem foi um marco de desenvolvimento para o Crato. A estação era o último ponto de linha da Estrada de Ferro de Baturité. A linha sul, da Rede de Viação Cearense, surgiu com a linha da Estrada de Ferro de Baturité, construída em 1872 a partir de Fortaleza e prolongada nos anos seguintes até a cidade do Crato.(...)

“A estação era um edifício grandioso para a época, pelo seu porte e pela sua arquitetura. Com uma planta de forma retangular, compartimentada em salão de espera, bilheterias, sala de telégrafo, salão, depósito de mercadorias, um piso superior destinado a dormitório, uma varanda exterior com cobertura de estrutura metálica e telhas “tipo francesas” para embarque e desembarque de passageiros, etc. (...) Além desse edifício existe um outro edifício menor com tratamento de fachadas mais simplificado, mas, com semelhança arquitetônica do edifício principal. Hoje, o complexo de edifícios da estação é um dos poucos exemplares da nossa arquitetura do passado ainda intacto”.1) Crato: evolução urbana e arquitetura 1740-1960. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2007, pp. 166-169

Pois é.Diante desse trecho da história hoje nos deparamos com um espaço defasado, destruído e mal aproveitado.As imagens mostram um espaço histórico que ao longo do tempo foi transformado em espaço cultural e hoje não passa de uma espaço de entulhos, matos e animais espalhados por todos os pontos daquele local. Para se ter idéia, bancos estão destruídos, fios de energia podem ser vistos expostos levando perigo a quem transita por aquele local.

Observando a arquitetura do local podemos perceber que tudo está destruído. Bancos quebrados, paredes derrubadas, luzes queimadas, mato cobrindo a paisagem e muito lixo junto no espaço que era pra ser referência no município, mas que hoje não passa de um local esquecido pela gestão pública.

Seria bom se o problema da REFESA fosse somente a questão da falta de infraestrutura, mas segundo um levantamento feito pela nossa equipe de reportagem no local, podemos constatar de fato que além de um lugar abandonado se tornou o alvo preferido de jovens que consomem drogas abertamente no local.Segundo levantamento feito pelo folha cratense, no local drogas como maconha, cocaína e crack já foram apreendidas no local pela polícia militar e também pela própria Guarda Civil Metropolitana do Crato.

A população que anda pelo local lamenta a atual situação em que se encontra a REFESA e solicita da gestão pública uma solução para o problema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário